O governo de Minas adiou o pagamento do auxílio de R$ 600, criado por iniciativa da Assembleia Legislativa, para ajudar cerca de 1 milhão de famílias mineiras em situação de extrema pobreza, que tiveram a situação agravada pela pandemia de Covid-19. O decreto do Executivo ampliando para até 1° de novembro foi publicado no Diário Oficial de Minas Gerais desse sábado (31/07).

A lei que criou o benefício para famílias com renda per capita familiar mensal de até R$ 89,00 previa o pagamento até 1º de agosto. Em meados de julho, no entanto, o governo de Minas informou que adiaria em três meses a data para liberar o recurso “em data mais próxima ao encerramento do pagamento do auxílio emergencial do governo federal”, que vai até outubro.

O auxílio de R$ 600 em parcela única foi criado por uma emenda dos deputados estaduais ao projeto que tratou da retomada econômica do estado, o Recomeça Minas. Os recursos virão da arrecadação prevista com o novo Refis mineiro, pelo qual empresas e pessoas que se endividaram durante a pandemia poderão renegociar e pagar suas dívidas.